Lançamento de Mundos de Mulheres

Discurso – Embaixada de França
Sua Excelência, Ministra do Género, Criança e Acção Social
Magnífico Reitor da UEM - Professor Doutor Orlando Quilambo
Magnífica Reitora da Universidade do Punguè – Professora Doutora Emília Nhalevilo,
Exma. Professora Isabel Casimiro - Coordenadora Geral do Evento
Exma. Professora Doutora Amalia Uamusse – vice reitora da Universidade Eduardo Mondlane,
Prezada Nzira de Deus, Directora do Fórum Mulher

Caros colegas,
Caras convidadas, caros convidados,
É uma honra estar convosco hoje para lançar oficialmente a preparação do 14° Congresso Internacional Mundos de Mulheres, a realizar-se em Maputo em Setembro próximo.

Este congresso, organizado regularmente há mais de 35 anos, em vários países (India, Canadá, Brasil, Uganda, Espanha……), tem um objectivo claro: estabelecer sinergias entre o mundo académico e a sociedade civil para criar conhecimento e identificar pistas de acção, estabelecer novos paradigmas, a fim de fazer evoluir o lugar da mulher na sociedade.

Para a edição 2020, este congresso propõe-nos uma reflexão sobre a noção de feminismos africanos e dessa forma “construir alternativas para as mulheres e para o mundo através de um corredor de saberes que cuida e resiste”.

É um objectivo ambicioso, conforme o demonstra a variedade de temas por vós escolhidos - desmilitarização, acesso aos serviços públicos, bens comuns, mudanças climáticas, deficiência, identidade sexual…

Optaram igualmente em dar destaque à juventude, estabelecendo uma parceria com estudantes do ensino médio e superior, a fim de dar uma contribuição duradoura para a evolução da posição das mulheres na sociedade.

Esse evento equipara-se ao que está a acontecer em muitos países do mundo: não se passa uma semana sem que em algum lugar - na América Latina, Europa ou África - homens e mulheres não sejam mobilizados para denunciar a violência contra as mulheres e desigualdades no tratamento que persistem, apesar da existência em alguns casos de leis progressistas.

De facto, se é verdade que a existência de leis é necessária para avançar no caminho da igualdade, elas nunca são suficientes, em França e em outros lugares, como mostram as estatísticas de violência contra mulheres ou crimes perpetrados contra mulheres desde o início do ano.

Nesse contexto, o direito das mulheres está no centro da nossa política internacional. O ano de 2020 será fundamental nesse aspecto com a revisão planeada da Plataforma de Acção de Pequim, que há 25 anos molda a acção internacional para capacitar e respeitar os direitos das mulheres em todo o mundo. França acolherá, nesse âmbito, uma das sessões de revisão regional desse acordo. Moçambique também contribuirá para esta revisão à escala regional.

Por todas estas razões, a minha Embaixada têm o orgulho de acompanhar o congresso Mundos de Mulheres e de ter sido até agora o parceiro principal deste evento.

Este apoio é parte integrante da nossa política aqui em Moçambique, que durante anos inclui o apoio a projectos consagrados à defesa dos direitos das mulheres, bem como a organização de muitos eventos de conscientização no âmbito da Semana da Mulher, organizada em torno do Dia Internacional dos Direitos da Mulher, em Março.
Como podem depreender, as apostas são altas e, portanto, junto-me ao apelo feito esta manhã pela equipe de coordenação da Mundos de Mulheres para que este evento obtenha o apoio de outros parceiros. Asseguro-vos do apoio da França na preparação deste evento, sob modalidades que terão de ser definidas conjuntamente.

Para terminar, quero parabenizar a todos os organizadores de Mundos de Mulheres, a Universidade Eduardo Mondlane e especialmente o Fórum Mulher, pelo trabalho realizado até agora, e igualmente encorajá-los no prosseguimento dessa organização.

Desejo-vos a todos um trabalho rico e estimulante.
numero de dança, moçambicana Tufo proposto por mulheres moçambicanas - JPEG

Dernière modification : 10/12/2019

Haut de page