França financia a construção da segunda Central solar de Moçambique [fr]

Neoen, centrales solaires du Salvador - JPEG

França financia a construção da segunda Central solar de Moçambique

Com um empréstimo de 40 milhões de dólares, a França, através do Grupo da Agência Francesa de Desenvolvimento, está a contribuir para melhorar o acesso à energia verde num país marcado por um baixo índice de electrificação.
A AFD, e a sua filial dedicada ao sector privado, Proparco concederam conjuntamente um financiamento de 40 Milhões de dólares ao projecto Metoro, que inclui uma parcela concecional destinada a optimizar a tarifa proposta e a apoiar os benefícios ambientais e sociais positivos a nível local.

A central de energia solar de 41MWp será construída perto da aldeia de Metoro, no norte do país. Esta região, que contribui para o dinamismo económico do país, beneficiará de um fornecimento de electricidade mais fiável e de fonte renovável.

O projecto Metoro é dirigido pela Electricidade de Moçambique (EDM) e a Neoen, líder francês do desenvolvimento de energias renováveis e um dos principais parceiros da Proparco. A Proparco financiou desde 2016, 5 projectos desenvolvidos pela Neoen, dentre os quais as maiores centrais de energia solar em El Salvador e Jamaica. O projecto Metoro é a primeira operação da Proparco com a Neoen em África.

A Proparco e a AFD reafirmam desse modo o seu compromisso em apoiar o desenvolvimento das energias renováveis e demonstrar a sua competitividade nos países em desenvolvimento.

Um projecto de forte impacto ambiental e social

Este projecto irá reduzir as emissões de gases com efeito de estufa em Moçambique. Será com efeito evitada a emissão de 49.000 toneladas de CO2 por ano (ou seja, 1.221 kt de CO2 ao longo da vida útil do projecto), tendo em conta o actual mix energético de Moçambique.

O projecto Metoro também se destaca pelo seu compromisso social. Parte das receitas da fábrica será dedicada a projectos educativos, como parte de um plano de desenvolvimento comunitário elaborado em conjunto com as autoridades locais.

A construção da central empregará até 370 pessoas, a maioria das quais serão contratadas localmente, e apoiará quase 30 empregos directos durante a vida operacional da central.

Dernière modification : 21/10/2020

Haut de page