Exposição a Biodiversidade marinha ameaçada em Moçambique [fr]

Sr. Luis Bernardo Honwana, Diretor Executivo da Biofund,
Caros parceiros, Caros colegas, caros convidados,
Boa tarde a todas e todos,

Biodiversité menacée au Mozambique
Biodiversité menacée au Mozambique
Biodiversité menacée au Mozambique

É um prazer estar aqui convosco hoje para inaugurar a exposição “ Biodiversidade ameaçada em Moçambique”, e também para lançar o evento Terra Nossa, organizado em parceria com a Biofund.

Congratulo-me por a minha primeira intervenção como novo Embaixador de França em Moçambique e Eswatini, ser subordinada a uma questão tão importante para o nosso futuro... biodiversidade, preservação do recurso, desenvolvimento sustentável ... o de Moçambique em primeiro lugar e o nosso dado que a França é igualmente um país do Oceano Indico.

Decidimos intitular esta primeira edição destas jornadas do meio-ambiente "Olhares cruzados entre o homem e o Oceano”.

Com este tema, o nosso objectivo é enfatizar as soluções a serem implementadas para conciliar a preservação da biodiversidade marinha e o desenvolvimento em Moçambique.

Hoje, a perda da biodiversidade é um dos grandes desafios à escala mundial. As mais recentes avaliações do estado da diversidade biológica demonstram que o ritmo actual da extinção das espécies é sem precedentes, da ordem de 100 a 1000 vezes mais elevado do que o ritmo natural estimado.

A responsabilidade do homem nesta evolução é hoje admitida e os relatórios das instâncias internacionais são claros. Se rapidamente não forem tomadas medidas fortes para conter este fenómeno de erosão da biodiversidade, ao ritmo actual, daqui a 2050 as florestas e pradarias poderão diminuir ainda mais de 10 a 20%, o colapso das unidades populacionais de peixes será prosseguido e a proliferação das espécies exóticas invasoras será amplificada.

Essas evoluções impactam e vão continuar a impactar directamente em muitos serviços oferecidos pelos ecossistemas, especialmente na pesca, segurança alimentar e turismo. Este é o caso em todo o mundo e mais ainda aqui em Moçambique, dada a importância/envergadura da sua fachada marítima.

É nesse contexto que esta exposição faz sentido hoje: através destes painéis e fotografias, trata-se de explicar porquê certas espécies e habitats marinhos estão hoje ameaçados em Moçambique e como é possível fazer evoluir esta situação.
Para este evento, nós quisemos dar destaque à juventude: também, hoje ou amanhã, cerca de 150 alunos visitaram ou vão visitar esta exposição com um guia especializado nesta temática. Os alunos participarão igualmente em jogos de sensibilização com alunos do liceu francês.

Esta noite, ainda no âmbito da sensibilização, escolhemos fazer a projecção gratuita do documentário “Oceano”. Realizado por Jacques Perrin, este filme leva-nos em viagem dos bancos de gelo polares aos trópicos, ao coração dos oceanos e das suas tempestades para fazer-nos redescobrir criaturas marinhas conhecidas, desconhecidas.

Por fim, amanhã às 14 horas, convido-os a participarem de uma mesa redonda na qual os intervenientes do mundo associativo, do governo e do sector privado debaterão sobre pistas de resposta a dar à questão “Como conciliar as actividades humanas e económicas e a preservação da biodiversidade marinha em Moçambique?”. Essa sessão será precedida da projecção do documentário Mother Ocean realizado pela associação Bitonga Divers a qual quero aqui felicitar pela sua acção de sensibilização.

Resta-me agradecer à Biofund pela organização conjunta deste evento, ao liceu francês, à Bitonga Divers e à AFD pelo seu envolvimento nestas jornadas.
Desejo-vos a todos uma boa exposição. Não hesitem em partilhar ao vosso redor!

Dernière modification : 27/09/2019

Haut de page