Dor sem fronteiras (DSF)

Contacto em França:
- c/o Hospital Lariboisière
- Hôpital Lariboisière.
- 2, rue Ambroise Paré.
- 75475 Paris Cedex 10
- Tel.: 0149958177 Fax: 0149956998
- 
- Contacto em Moçambique:
- Rua Valentim Siti, N°276,
- Maputo, Mozambique
- Tel/Fax: +258 21 311 230
- Cel: +258 82 325 9880
- Courriel: dsfmoz@tvcabo.co.mz
- 
- Site internet: http://www.douleurs.org
- 
- Presença em Moçambique: desde 1996
- 
- Efectivos: 52 trabalhadores recrutados localmente dos quais 2 expatriados.
- 
- Locais de intervenção: Maputo, Chókwé, Chibuto e Xai-Xai na Província de Gaza e Beira na Província de Sofala.
- 
- Responsáveis: Romuald DJITTE, Director Nacional ; Teresa CERVEAU, Coordenadora ; Maria Alice GOMES, Administradora Nacional.
- 
- Dor Sem Fronteiras é uma Organização não Governamental (ONG) francesa com vocação humanitária e que trabalha na área médica e mais precisamente no tratamento da dor, qualquer que seja a sua natureza.
- 
- Criada em 1996 por médicos responsáveis de estruturas hospitalares francesas, Dores Sem Fronteiras, reconhecida hoje como sendo de utilidade pública pelo Conselho de Estado Francês (Decreto de 10 de Novembro de 2003), bem como pela Organização Mundial da Saúde e pela ONU.
- 
- A resignação face à dor está ultrapassada. Hoje, no mundo industrializado sabe-se que a dor não é uma fatalidade. Falta beneficiar o resto do mundo dessa ciência. Animada por médicos, professores, pesquisadores, enfermeiros, e psicólogos voluntários benevolentes, a DSF é actualmente uma das únicas ONG a ocupar-se exclusivamente do tratamento da dor, e mas amplamente do sofrimento, com duas missões, uma imediata e outra a longo prazo:
— Aliviar a dor
— Formar as autoridades locais a assegurar de maneira autónoma o tratamento da dor e do sofrimento, de maneira mais integrada e adaptada às necessidades de cada país.
- 
- Porque a luta contra a dor é uma guerra quotidiana que se trava no terreno, a DSF já estabeleceu uma estrutura permanente no seguintes países: Angola, Moçambique, Senegal, Marrocos, Tunísia, Camboja, Arménia, Madagáscar e Haiti.
- Dores Sem Fronteiras dedicou-se igualmente a desenvolver programas de tratamento do sofrimento moral e psicológico das populações em dificuldade, concretamente o das crianças (sofrimento das pessoas em situação de deficência, órfãos do SIDA…).
- 
- 

Missão da DSF em Moçambique

- 
- Apoiar os dispositivos de tratamento da dor e do sofrimento das populações vulneráveis através do reforço das capacidades dos intervenientes tanto institucionais como da sociedade civil, bem como o reforço dos mecanismos de coordenação.
- 
- 

Princípios de acção

- 
— O acesso à saúde é um direito fundamental e universal
— O tratamento da dor e do sofrimento deve ser considerado como um direito fundamental de todo o indivíduo
— Um procedimento inclusivo e por conseguinte a consideração das necessidades particulares das mulheres, raparigas, das pessoas vivendo em situação de deficiência, com uma doença crónica, e particularmente o VIH/SIDA, as crianças órfãs, sem nenhuma discriminação de origem étnica e racial, de sexo ou de orientação sexual.
— Uma abordagem em termos de parceria pluridisciplinar e uma dinâmica colectiva com recurso à coordenação entre intervenientes, à participação dos pacientes, contribuindo assim para refocalizar os sistemas de saúde nos pacientes e melhorar a qualidade dos cuidados médicos.
- 
- 

Principais áreas de intervenção em Moçambique

- 
- Apoio e formação de intervenientes institucionais e da sociedade civil no domínio da saúde e da acção social.
- 
- 

Principais projectos implementados

- 
— Reabilitação do Centro Médico Psicológico Infantil e Juvenil – CERPIJ – do Hospital Central da Beira (2009).
- 
— No domínio do tratamento das crianças, abertura de uma formação de formadores e elaboração de manuais de referência para os profissionais de saúde mental do Ministério da Saúde: « Resiliência e tratamento das Crianças Órfãs e Vulneráveis » (2007).
- 
— Instalação de um Gabinete de Aconselhamento e Testagem Voluntária (GATV) em Chókwe (2004).
- 
- 
— Construção e gestão de um Hospital do dia em Xai-Xai (2002).
- 
— Desenvolvimento desde 1998 de inúmeros protocolos de pesquisa sobre a avaliação e o tratamento da dor em Moçambique, no que respeita particularmente ao tratamento da dor dos membros fantasmas das pessoas que sofreram uma imputação.
- 
— Instauração de um Diploma Universitário sobre o tratamento da dor e os cuidados paliativos (1996 à 1999), integrado na Faculdade de Medicina da Universidade Eduardo Mondlane em Maputo.
- 
- 
- 

Projectos em curso

- 
— Fornecer um apoio técnico e logístico à unidade de avaliação e tratamento da dor do Hospital Central de Maputo para que esta se torne um centro de referência nacional na formação de profissionais do domínio da dor e dos cuidados paliativos, e para o tratamento dos pacientes que sofrem de dores crónicas.
- 

JPEG - 27.6 kb
Unidade da dor - Hospital central de Maputo

— Melhorar e prolongar a qualidade de vida das crianças e adultos que vivem com o HIV/SIDA e/ou outras doenças crónicas, através da instalação de dispositivos de cuidados a domicílio na província de Gaza, o que inclui as actividades de prevenção.
— Garantir um acompanhamento psico-social adaptado às crianças órfãs e/ou vulneráveis na Província de Gaza e na Cidade da Beira, especialmente através da instalação de dois Centros de Apoio Psico Social para Crianças e de seis Centros Comunitários para Jovens.
- 

JPEG - 25.4 kb
Recepção de grandes grupos no CRI de Chókwé

— Formar e apoiar tecnicamente e financeiramente 15 associações parceiras que realizam actividades de tratamento das crianças em dificuldade e cuidados à domicílio para pessoas que vivem com o HIV/SIDA e/ou outras doenças crónicas na Província de Gaza e na Cidade da Beira.

Dernière modification : 20/07/2010

Haut de page