Abertura da Missão da Defesa em Maputo [fr]

reunião no Estado-Maior da MGM para a organização de um seminário sobre o direito marítimo.
entrega de manuais de Francês no Instituto Superior dos Estudos de Defesa (ISEDEF)
Décoration de l'Attaché de defensele par le Général Eric Vidaud
Ouverture de la Mission de défense: equipe de l'ambassade et deux officiers mozambicains

Os Ministérios das Forças Armadas e dos Negócios Estrangeiros francês decidiram abrir uma Missão de Defesa (MDD) em Maputo que será inaugurada em Setembro de 2018. O Adido de Defesa (AD), Capitão de Mar-e-Guerra Arnaut Lacote, da Marinha Nacional, que já era Adido de Defesa não residente, foi transferido de Pretória para fixar a sua residência em Maputo.
Por ocasião da inauguração da missão de defesa de Maputo, o General Eric Vidaud, condecorou com as insigneas da ordem nacional do mérito ao comandante Arnault Lacote em reconhecimento dos seus serviços ao lon,go da sua carreira.

O mesmo tem por assistente o Major Víctor Gamelas (AAD), do exército. Foi necessário um ano de obras para remodelar as instalações da embaixada e dotar a MDD de ferramentas adaptadas, respondendo a normas de protecção estritas.

O papel de um AD é representar o Ministério das Forças Armadas, nos seus diferentes componentes, junto dos seus homólogos dos países onde está acreditado. O AD é igualmente conselheiro do Embaixador para as questões de defesa e garante um seguimento da situação do ambiente de “defesa” desses países, com vista à antecipação e gestão de crises potenciais. O mesmo facilita as actividades do Ministério das Forças Armadas (escalas dos navios da marinha nacional francesa, sobrevoos das aeronaves do Estado, visitas oficiais, conferências, etc…). Em ligação com os outros serviços da embaixada, o AD é responsável da cooperação bilateral com as forças armadas locais
A decisão da abertura da MDD de Maputo – ou de reabertura pois existia uma missão em Maputo até 1995 – resulta de um interesse renovado da França por Moçambique, com quem partilha uma fronteira marítima no Canal do mesmo nome, e globalmente por toda esta parte do Oceano Indico. Para além dos Départements da Ilha Reunião e Mayotte, a França possui igualmente neste Oceano as Terras Austrais e Antárcticas Francesas (TAAF), incluindo as Ilhas Esparsas, o que lhe confere responsabilidades particulares em matéria de controlo da Zona Económica Exclusiva.
O objectivo principal da AD em Maputo será o desenvolvimento da cooperação bilateral de defesa com Moçambique, e em especial no domínio da segurança marítima, para qual a França dispõe de trunfos inegáveis na zona. A França dispõe de facto de uma organização bem sucedida no que tange à Acção do Estado no Mar, Forças Armadas na Zona Sul do Oceano Indico (FAZSOI), 1600 militares baseados na Ilha Reunião, com cinco navios d marinha e dois aviões de transporte da força aérea bem como um regimento e paraquedistas, multiplicando as possibilidades de interacções com as forças e administrações locais (escalas, destacamentos de instrução operacional, exercícios). A título de exemplo, uma nova escala do patrulheiro le Malin terá lugar em Maputo em finais de Setembro, com muitas actividades de cooperação previstas aquando do embarque marinheiros moçambicanos. Está igualmente previsto, para início de Novembro, um seminário sobre o direito do mar.
Outras actividades são conduzidas para desenvolver a cooperação, especialmente no domínio do ensino do Francês no contexto militar, frequentemente com o apoio do CCFM, ou sobre questões estratégicas de organização (defesa do território, formação e treino). O apoio na preparação para as operações de manutenção da paz é igualmente um objectivo de cooperação futura, à semelhança do destacamento que terá lugar em Eswatini em Setembro-Outubro, e do que foi organizado pelo AD em benefício das forças armadas zambianas em Março de 2018.

Dernière modification : 21/09/2018

Haut de page